This post is also available in: frFrançais deDeutsch ruРусский esEspañol enEnglish

A Dash patrocinou a HardFork, uma série de suspense baseada em blockchain.

Apelidada de “Suspense crypto-noir que se passa em um mundo no futuro próximo onde facções descentralizadas trabalham para derrubar o regime centralizado da sociedade”, HardFork é uma série de ficção científica centrada em blockchain. Esta série planeja ter um valor de produção de primeira para criar um show agradável para popularizar a tecnologia blockchain e as criptomoedas com o público geral. Um teaser de validação do conceito foi produzido para a comunidade Dash antes da apresentação da proposta.

De acordo com o diretor Doug Karr, o interesse no sistema de propostas da Dash motivou uma investigação mais profunda sobre ela, o que levou finalmente a uma tentativa de proposta:

“Sabíamos desde os primeiros dias quando começamos a desenvolver a Série HardFork que a Dash tinha este processo incrível de propostas e já que nós sabíamos de outras pessoas que estavam colocando suas próprias propostas de projetos. Inicialmente, nós discutimos bastante sobre fazer uma proposta para produzir o trailer de teaser muitos meses atrás. Acabamos decidindo contra ela porque sentíamos que podíamos produzí-lo nós mesmos sem nenhum suporte de verdade de maneira a mostrar uma prova de conceito que se sustentasse sozinha.”

A DAO da Dash é uma das poucas vias para ser pago direto de uma blockchain

Além de minerar e rodar nós incentivados tais como masternodes ou fazendo staking em uma moeda proof-of-stake, o sistema de tesouraria da Dash é uma das poucas soluções para aqueles buscando serem pagos diretamente por uma blockchain, em vez de trabalhar para uma organização que possui criptomoedas para pagar empregados e contratantes. Karr estava familiarizado com projetos tais como Steem, que permitem a contribuintes financiarem a si próprios, mas estava ainda assim impressionado com a habilidade da Dash de rodar uma organização descentralizada autônoma, e as possibilidades que isso abriria para projetos futuros:

“Com a série HardFork, este é um projeto enorme e absorvente pelo qual somos apaixonados e estamos empolgados para criar. O fato de que podemos financiá-lo através de uma proposta de patrocínio como aquela que passamos o torna ainda mais doce. Ser parte da comunidade Dash por si só tem um valor imenso. Em um certo sentido, é uma máquina que se auto-sustenta. A DAO por trás de nós é um motor que ajudará a impulsionar o projeto, e por sua vez o projeto ajudará a impulsionar a comunidade inteira. Isto é o que é tão incrível sobre a blockchain e os projetos descentralizados. É um paradigma inteiramente novo com tantas possibilidades que ainda podem se concretizar.”

O produtor da HardFork e ator Naomi Brockwell estava de maneira semelhante familiarizado com os métodos de financiamento baseados em blockchain, mas estava especialmente impressionado com a comunidade da Dash:

“Eu uso Steemit, e isso foi o que primeiro me apresentou ao levantamento de fundos crypto, mas esta experiência foi única pois tínhamos um alvo tudo ou nada. A melhor parte foi interagir com a comunidade online. Jason King estava correto quando me contou que a comunidade da Dash era a melhor de todas, e me sinto muito sortudo em ser parte disso. Estou ainda mais animado em investigar mais fundo e aprender sobre outros projetos financiados pela Dash e sobre a comunidade em si.”

O processo de propostas da Dash se provou uma experiência intensa de aprendizado

Enquanto o patrocínio representa uma oportunidade tanto para o time HardFork quanto para a Dash, o processo de proposta não veio sem complicações. Até o último minuto, parecia que a proposta não iria passar. Karr detalhou a experiência completa desde o início até o final:

“Acho que se nós tivéssemos entrado no processo de proposta simplesmente querendo dinheiro e não desejando aprender sobre governança descentralizada, seria um processo doloroso. Não há como negar o fato que o processo de proposta cai como uma luva; e, de início, isso era assustador. Não era bem clara qual seria a melhor maneira de se inserir na comunidade. Por meio do fórum? Do Discord? A página de propostas na Dash Central em si? Felizmente, enquanto estávamos tendo dificuldades e acumulando mais “não”s que “sim”s, nós tivemos a sorte de conhecer alguns guias da comunidade Dash que ajudaram a nos orientar para as direções certas. Enquanto procedíamos, nossos esforços começaram a dar frutos.

Nosso engajamento contínuo por meio de vídeos introdutórios, conteúdo e interação em vários portais começou a trazer novos fãs para o processo que nos ajudaram a nos guiar para ainda mais longe. Quando começamos a fazer entrevistas e transmissões ao vivo de AMA (sigla em inglês para “pergunte-me qualquer coisa”) no YouTube foi que realmente começamos a sentir como se estivéssemos ganhando um ímpeto e animando as pessoas para o projeto. É um tipo de processo estonteante e orgânico, e o que começamos a aprender é que mesmo os proprietários de masternode que estão sendo mais duros com você, no fundo eles só querem que você se mostre a altura. O que me deixa muito orgulhoso é que no final nós nos mostramos.

Nas últimas poucas horas cruciais nós quase conseguimos… depois claramente não… e por último conseguimos 8 votos positivos alguns minutos antes do sinal tocar; foi eletrizante, estonteante, esmagador e algo de mudar a vida. Olhando para trás, eu não mudaria nada.”